Quarta, 28 de Outubro de 2020
(61) 99300-9675
Saúde ESTRESSE

Estresse pode causar doenças no corpo

90% da população mundial é estressada; médicas explicam diferentes ações da doença no corpo.

15/10/2020 09h00
46
Por: Redação Fonte: N.M.
Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

& Eacute; impossível negar que a pandemia do novo coronavírus mexeu com os nervos das pessoas. As mudanças provocadas pelo estado de calamidade provocaram crises profundas de estresse. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a condição atinge mais de 90% da população mundial.

De acordo com a gastroenterologista do Hospital Brasília Zuleica Barrio, o estresse emocional pode contribuir para desencadear ou piorar sintomas de doenças gastrointestinais como a gastrite e a síndrome do intestino irritável. “Muitas pessoas apresentam dores abdominais e diarreia quando submetidas a situações estressantes”, relata.

Queda de cabelo, dermatites e descamações também são algumas das doenças dermatológicas mais conhecidas, que também podem ser causadas por altos níveis de estresse. Segundo a dermatologista do hospital Águas Claras Clarissa Araújo Borges, o vitiligo e a psoríase também podem ser desencadeadas ou piorar num momento de estresse.

Segundo o Ministério da Saúde, existem dois níveis de estresse: o agudo e o crônico. O estresse agudo é mais intenso e curto, desencadeado por situações passageiras ou traumáticas, como a pandemia. Já o estresse crônico afeta a maioria das pessoas, é mais suave, porém constante no dia a dia.

Diagnóstico e tratamento

Conhecido como o hormônio do estresse, o cortisol pode ser medido por meio de exame laboratorial. Entretanto, não é possível associá-lo ao episódio de estresse, como explica a endocrinologista do Laboratório Exame/Dasa Fernanda Lopes. “Observamos nos pacientes que, ao serem submetidos a situações de estresse, o nível de cortisol pode aumentar, entretanto não é base para diagnóstico, especialmente se não é agudo. Também não é possível utilizar o cortisol como ferramenta diagnóstica para o estresse psicológico”, esclarece.

O tratamento dermatológico deve ser específico para a condição apresentada devido ao estresse, incluindo desde xampus, loções, pomadas até o uso de medicamentos orais. “Além dos tratamentos fármacos, o controle do estresse é muito importante para ajuda a conter novos surtos da doença. Uma abordagem multidisciplinar, com diversos profissionais também é fundamental”, destaca a dermatologista Clarissa Araújo.

A médica ainda frisou a importância de investigar outras doenças. O estresse pode causar anemias, alterações tireoidianas e até deficiências vitamínicas. Esses distúrbios devem ser corrigidos e tratados por cada especialista em sua área. Zuleica Barrio reforça a importância de aprender a lidar com o estresse. “Psicoterapia, exercícios físicos, melhor qualidade de vida e de alimentação, associados a medicamentos quando necessário, podem diminuir os sintomas” conclui.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Brasília - DF
Atualizado às 02h07 - Fonte: Climatempo
21°
Nuvens esparsas

Mín. 19° Máx. 26°

21° Sensação
6 km/h Vento
88% Umidade do ar
90% (15mm) Chance de chuva
Amanhã (29/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 27°

Sol com muitas nuvens e chuva
Sexta (30/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 27°

Sol com muitas nuvens e chuva
Ele1 - Criar site de notícias